Skip main navigation

Um novo teste na prática: um ensaio clínico.

Discussing the paper, "Randomised Trial of Rapid Multiplex Polymerase Chain Reaction-Based Blood Culture Identification and Susceptibility Testing"
Staphylococcus aureus Bacteria
© UoD e BSAC

Em 2015, um artigo, “Randomized Trial of Rapid Multiplex Polymerase Chain Reaction Based Culture Identification and Susceptibility Testing” por Banerjee et al, foi publicado detalhando os resultados de um ensaio clínico para avaliar o impacto de um teste de diagnóstico rápido (Multiplex, real -time PCR) aplicado a frascos positivos de hemocultura. O ensaio incluiu:

  1. Um braço convencional de hemocultura

  2. Um braço do novo teste rápido e

  3. Combinação do novo teste rápido e comunicação direta com a equipe de stewardship de antimicrobianos

O tempo para o diagnóstico foi significativamente diminuído nos braços em que o novo teste rápido foi utilizado em comparação com o braço convencional.

No entanto, a racionalização do tratamento foi realizada significativamente mais cedo, quando os testes de diagnóstico rápido foram combinados com a intervenção da equipe de stewardship de antimicrobianos.

A conclusão dos autores foi:

“Neste ensaio clínico randomizado, o teste de BCID reduziu o tempo para a identificação de patógenos, mas somente quando o teste de BCID foi combinado com o stewardship de antimicrobianos, o tempo para descalonamento e escalonamento apropriados dos agentes antimicrobianos foi encurtado. O diagnóstico rápido da hemocultura deve ser implementado com o stewardship de antimicrobianos”.

O diagnóstico microbiológico preciso nem sempre leva a uma prescrição antimicrobiana apropriada. Conhecimento (cognição) e ação (comportamento) pertencem a diferentes dimensões; isso explica a lacuna entre o SABER e o FAZER observada neste ensaio clínico.

Por que modificar a terapia antimicrobiana se o paciente está tendo um curso clínico favorável com antimicrobianos de amplo espectro?

Por que mudar uma equipe já vencedora?

Estas estão entre as perguntas mais frequentes entre os prescritores quando se considera o descalonamento. Os prescritores devem estar motivados para desescalonar. A melhor maneira de motivar os prescritores a otimizar a terapia antimicrobiana é educá-los sobre os benefícios ecológicos da terapia direcionada, assegurando, por outro lado, eficácia clínica.

Como você aprenderá na próxima semana, na semana 5, existem várias barreiras para a mudança da prescrição (mudança de comportamento) além da falta de conhecimento.

O stewardship de antimicrobianos lida com eles; é o seu modus operandi.

© UoD e BSAC
This article is from the free online

Stewardship de Antimicrobianos: Gerenciamento da Resistência Antimicrobiana

Created by
FutureLearn - Learning For Life

Our purpose is to transform access to education.

We offer a diverse selection of courses from leading universities and cultural institutions from around the world. These are delivered one step at a time, and are accessible on mobile, tablet and desktop, so you can fit learning around your life.

We believe learning should be an enjoyable, social experience, so our courses offer the opportunity to discuss what you’re learning with others as you go, helping you make fresh discoveries and form new ideas.
You can unlock new opportunities with unlimited access to hundreds of online short courses for a year by subscribing to our Unlimited package. Build your knowledge with top universities and organisations.

Learn more about how FutureLearn is transforming access to education