Skip main navigation

Setores Energéticos Descarbonizados do Brasil

Foco do G20 no Brasil
O Brasil tem uma matriz elétrica limpa, mas é dependente de combustíveis fósseis no setor de energia. O setor elétrico no Brasil é o maior da América do Sul. Sua capacidade no final de 2020 era de 175 GW (era 11 GW em 1970 e teve um crescimento médio anual de 5,8% ao ano). O Brasil possui a maior capacidade de armazenamento de água do mundo, a hidroeletricidade atende mais de 70% de sua demanda de energia elétrica. A rede nacional é alimentada em 80% por fontes renováveis (hidroeletricidade, biocombustíveis, energia eólica, etc.). [1]

O transporte tornou-se uma das principais fontes de emissão de gases de efeito estufa pelo uso de combustíveis no Brasil. Dados do Observatório do Clima mostram que o setor foi responsável por 47% do total de emissões energéticas em 2019, com o transporte de mercadorias respondendo por 40% desse total. [2]

No Brasil, muito interessante, todos os partidos políticos continuaram a mesma política de energia renovável: coalizões entre partidos desde o PMDB [3], o PT [4], novamente o PMDB, e depois Bolsonaro. [5] A Política Nacional sobre Mudança do Clima do Brasil, promulgada em dezembro de 2009, visa promover o desenvolvimento de um mercado brasileiro de redução de emissões, entre outras metas. [6] No final de 2020, o Brasil anunciou a meta indicativa de se tornar neutro em carbono até 2060. [7]

A RenovaBio, a Política Nacional de Biocombustíveis, foi aprovada em 2017, estabelecendo metas obrigatórias para a compra de biocombustíveis pelas distribuidoras de combustíveis. Para atingir as metas, as distribuidoras devem adquirir volumes especificados de certificados (CBIO), que representam reduções de emissões relacionadas à substituição de combustíveis fósseis por biocombustíveis. A negociação de CBIO começou em junho de 2020. [8]

Referências

  1. https://www.aneel.gov.br/sala-de-imprensa/-/asset_publisher/zXQREz8EVlZ6/content/id/22039048
  2. https://blogs.iadb.org/sostenibilidad/en/infralog-a-route-for-the-decarbonization-of-the-transport-sector-in-brazil/
  3. Partido Movimento Democrático Brasileiro
  4. Partido dos Trabalhadores
  5. Kathy Hochstetler, Professor of International Development at LSE, statement from her latest book launch: “Political Economies of Energy Transition, Wind and Solar Power in Brazil and South Africa” 2021
  6. https://icapcarbonaction.com/en/?option=com_attach&task=download&id=723
  7. https://www.climatechangenews.com/2020/12/09/brazil-sets-indicative-goal-carbon-neutrality-2060/
  8. https://icapcarbonaction.com/en/?option=com_attach&task=download&id=723
This article is from the free online

Mercados de Carbono: Lições Europeias para Ação Climática Transnacional

Created by
FutureLearn - Learning For Life

Our purpose is to transform access to education.

We offer a diverse selection of courses from leading universities and cultural institutions from around the world. These are delivered one step at a time, and are accessible on mobile, tablet and desktop, so you can fit learning around your life.

We believe learning should be an enjoyable, social experience, so our courses offer the opportunity to discuss what you’re learning with others as you go, helping you make fresh discoveries and form new ideas.
You can unlock new opportunities with unlimited access to hundreds of online short courses for a year by subscribing to our Unlimited package. Build your knowledge with top universities and organisations.

Learn more about how FutureLearn is transforming access to education